Tripulantes da estação espacial recebem astronautas da nave Endeavour

Os astronautas do ônibus espacial Endeavour, acoplado na madrugada desta quarta-feira (10) à Estação Espacial Internacional (ISS), entraram no laboratório orbital e cumprimentaram os tripulantes, informou a agência oficial russa Itar-Tass.

O primeiro a abrir a escotilha e entrar na estação foi o comandante do Endeavour George Zamka, que coordenou a operação de acoplamento com o complexo espacial que circunda a Terra a quase 400 quilômetros de altura.

Tripulações da nave Endeavour (missão STS-130) e da Estação Espacial Internacional (Expedição 22, desde novembro de 2009)

Logo após Zamka, os demais expedicionários do Endeavour entraram na ISS: o piloto Terry Virts e os especialistas Nicholas Patrick, Robert Behnken, Stephen Robinson e Kathryn Hire.

Na Estação Espacial, os tripulantes cumprimentaram os integrantes da atual missão permanente da plataforma: os cosmonautas russos Maxim Surayev e Oleg Kotov, os americanos Jeff Williams e Timothy Creamer, e o japonês Soichi Noguchi.

Acoplamento

O encontro dos 11 astronautas ocorreu duas horas depois do acoplamento, tempo que ambas as tripulações precisaram para conferir o estado hermético do engate entre a ISS e o Endeavour, que transporta o módulo Tranquility.

O controle da missão no Centro Espacial Johnson, em Houston (Texas), informou que a operação foi realizada às 3h06 (horário de Brasília), momento em que o complexo orbitava sobre Portugal.

Ônibus espacial Endeavour é visto a partir da Estação Espacial Internacional (ISS), enquanto se aproxima do laboratório orbital

As últimas manobras de aproximação, muito delicadas, com as duas naves a mais de 28.000 km/h, foram realizadas manualmente pelo comandante de bordo George Zamka, um coronel dos Marines, com uma margem de manobra de cerca de 4,5 cm.

Nos últimos metros, o Endeavour se aproximou da ISS a um quarto de centímetro por segundo.

Missão

O ônibus espacial foi lançado na Flórida nesta segunda-feira (8) com seis astronautas a bordo para uma missão de 13 dias destinada a transportar e instalar os módulos Tranquility e Cupola, últimas peças grandes da ISS.

Ônibus espacial Endeavour, no momento de acoplamento à Estação Espacial Internacional (ISS), que orbita a Terra a cerca de 400 km

Além do reabastecimento de rotina, o principal objetivo da missão é a instalação do Tranquility, que ampliará o espaço de trabalho dos astronautas, e de uma cúpula de seis amplas vidraças que permitirá uma vista panorâmica da Terra e do céu sem distorções atmosféricas.

Para a instalação serão necessárias três caminhadas espaciais, de seis horas e meia cada uma, durante a missão do Endeavour.

O módulo Tranquility, construído na Itália, e a cúpula, são uma contribuição da Agência Espacial Europeia.

O Endeavour chegou à ISS em um momento em que quatro naves russas estão acopladas à estação orbital: as tripuladas Soyuz TMA-16 e TMA 17 e os cargueiros Progress M-3M e M-04.

Anúncios

Soyuz TMA-16 já está acoplada ao novo módulo Poisk

A equipe Soyuz TMA-16 concluiu com sucesso nesta quinta-feira (21), a operação que desconectou a nave russa do módulo Zvezda e acoplou ao novo módulo Poisk da Estação Espacial Internacional (ISS).

A manobra foi feita manualmente pelo cosmonauta russo Maxim Surayev às 8h24, no horário de Brasília, segundo informou o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.

O módulo Zvezda está livre para o engate da nave Progress M-04M, prevista para ser lançada no dia 3 de fevereiro da base de Baikonur, no Cazaquistão. A altura da plataforma orbital será corrigida durante este fim de semana com a ajuda dos propulsores do módulo Zvezda.

A nave russa Soyuz TMA-16 retorna à Terra só em março trazendo o astronauta da Nasa Jeff Williams e o cosmonauta Maxim Surayev.

Em abril, a Soyuz TMA-18 levará à ISS três novos tripulantes, os cosmonautas russos Aleksandr Skvortsov e Mikhail Kornienko e a astronauta americana Tracy Caldwell. A nave deverá realizar o engate no novo módulo Poisk.

Além da Rússia, os Estados Unidos vão continuar utilizando as naves espaciais Soyuz para colocar astronautas em órbita no que vem. Até final de 2010, os ônibus da agência espacial americana já devem estar fora de circulação.

Foto: Soyuz TMA-16 foi acoplada com sucesso ao novo módulo Poisk na Estação Espacial Internacional em operação nesta quinta-feira.
Crédito: Roscomos
Fonte: Apolo11

Cosmonautas russos iniciam caminhada na ISS para acoplagem de módulo

Os dois cosmonautas russos da Estação Espacial Internacional (ISS), Maxim Surayev e Oleg Kotov, iniciaram nesta quinta-feira (14) uma caminhada espacial que durará quase seis horas, informou o Centro de Controle de Voos Espaciais da Rússia.

Os cosmonautas abriram os alçapões do módulo de acoplagem Pirs às 8h05 de Brasília e devem voltar à plataforma orbital às 13h31 de Brasília, disse às agências russas o porta-voz do Centro, Valery Lyndin.

O objetivo da caminhada é instalar cabos de comunicação entre o módulo de serviço Zvezda e o pequeno módulo científico Poisk –recém-chegado à ISS– assim como instalar no mesmo alguns equipamentos e antenas do sistema radiotécnico Kurs para operações de acoplagem de naves.

Isso permitirá ao cosmonauta Surayev que na próxima quinta-feira (21) desenganche do módulo Zvezda a nave Soyuz TMA-16 e a acople pela primeira vez ao Poisk. Depois disso, será possível corrigir a altura da estação com ajuda dos propulsores dessa nave.

Surayev e Kotov deverão também desmontar para levar de volta à Terra um contêiner com microorganismos que permaneceu instalado no exterior do módulo Pirs e exposto aos efeitos da radiação solar durante mais de 30 meses.

Além dos dois cosmonautas russos, a atual missão permanente na ISS é integrada por dois astronautas americanos, Jeff Williams e Timothy Creamer, e pelo japonês Soichi Noguchi.